NOVOS CARROS ENTREGUES – NOVOS CAMPOS PARA ALCANÇAR - AMES

9

A família AMES cresce a cada dia e para atender os novos campos missionários no sertão nordestino, também foi preciso crescer a frota de veículos. Ao todo, 11 carros foram entregues este ano subindo para 95 a frota de veículos, rodando pelas 27 bases missionárias, percorrendo as mais distantes comunidades rurais e quilombolas.

Para conseguir se locomover pelo sertão, com distâncias que variam entre 30 a 200 quilômetros entre uma comunidade e outra, o missionário precisa contar com um veículo, que não é luxo, é instrumento de locomoção, evangelização e de socorro pois, muitas vezes, o missionário é aquele que leva uma cesta básica/remédio, transporta grávidas e doentes, leva pessoas para as igrejas e tantas outras situações inesperadas. Um carro a mais entregue, é sinal de mais vidas alcançadas e isso alegra nosso coração.

Para conseguir equilibrar todas as demandas e manter a segurança de todos, o departamento de logística tem grande atuação. De janeiro a agosto, a equipe está implementando a cultura organizacional de procedimentos para redução de custos com qualidade dos serviços. Trabalhando no tripé: combustível/manutenção/seguro, o departamento conseguiu este ano uma contenção de 198 mil reais, uma conquista importante que vai garantir mais recursos para outras áreas missionárias.

O TRABALHO DA LOGÍSTICA

O departamento também desenvolve um trabalho de reciclagem e treinamento para mitigar erros e acidentes, visando sempre a segurança dos missionários e sua família. Entre os cursos que são dados nas bases missionárias, estão: Legislação de trânsito, direção defensiva e manutenção preventiva para todos os motoristas.

“Apesar de festejarmos a conquista de uma frota veicular, as vidas importam mais do que coisas e, por isso, todos os veículos são segurados e possuem rastreadores que é possível saber em tempo real onde o carro está e se acontecer alguma pane, também é possível saber e já orientar o condutor. Queremos acima de tudo garantir tranquilidade para quem está no campo.” Explica Williams Lima.