julho 2019 - AMES

1

Cuidar de quem cuida: conheça o trabalho de Denise e Marcelo!

“O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”. No evangelho de João 15:12, Jesus Cristo fala da importância do amor e cuidado ao próximo. E é com este pensamento que Denise e Marcelo Fregnani, ambos de 50 anos, atuam com Cuidado Missionário há mais de 27 anos – sendo 3 no Sertão pela AMES. Conheça mais sobre esse importante trabalho!

Um desafio necessário e gratificante

O Cuidado Missionário é um trabalho cheio de desafios, mas muito necessário: é por meio dele que Denise e Marcelo se dedicam para cuidar e dar apoio a pastores, obreiros e missionários que atuam no campo de missões. O casal atua em Petrolina, em Pernambuco, e em mais 13 bases situadas também nos estados de Piauí e Bahia. Eles atuam por meio de visitas individuais e em igrejas dos povoados, além de reuniões individuais com os missionários. Para o casal, a base do trabalho é o bom relacionamento.

“Nós procuramos entender as problemáticas, os conflitos, as alegrias e tristezas de cada um dos missionários e pastores que atendemos. Mas, para isso, buscamos nos inserir no dia a dia deles. Passamos dias em cada base, presenciamos a rotina de cada um e, dentro desse contexto, vamos tendo a percepção das necessidades reais que eles têm”, explica Marcelo Fregnani.

O principal desafio, segundo ele, é entender a necessidade de cada um. “Precisamos criar um ambiente emocionalmente seguro para que eles estejam dispostos a serem ajudados. Tem que querer, é fundamental que eles estejam seguros para falar. Estar presente, conviver com eles e entender um pouco mais sobre a casa e o ministério de cada um faz toda a diferença”, completa.

Conheça também a história de Levi Custódio e Suely Regina, que atuam na área de Cuidado Missionário! Para conhecer mais sobre projetos da AMES no Sertão, clique aqui!

2

Perfil Missionário: conheça a história do pastor Janderson Malagueta!

Há um ano, o pastor Janderson Malagueta Albulquerque, de 37 anos, tomou uma importante decisão em sua vida: assumiu o trabalho missionário da região de Umburanas, na Bahia. De lá pra cá, ajudou a levar a palavra e o amor de Cristo para o povo sertanejo ao lado de sua família: a esposa Rosângela de Lima Pereira Malagueta e os filhos Misael, de 12 anos, e Priscila, de 8. Conheça mais sobre a trajetória do pastor Janderson e os projetos que ele lidera no Sertão!

Trabalho missionário no Sertão

Nascido em Fortaleza, no Ceará, Janderson Malagueta atua como pastor há 12 anos. Em 2018, após visitas a uma igreja em Salvador, na Bahia, recebeu o convite de assumir uma base no Sertão nordestino. “Viemos desenvolver trabalhos missionários no povoado de Barriguda do Aníbal, em Umburanas, e nas comunidades adjacentes. Realizamos dois cultos semanais, além de escola bíblica, reunião de mulheres, cultos familiares e visitação nos lares nas comunidades próximas”, explica Janderson.

O pastor conta que é acompanhado pela esposa Rosângela e os filhos Misael e Priscila. “Toda a família é muito empenhada, e nossos filhos já nos acompanham nas reuniões e nas visitas em lares. Somos muito bem recebidos. O povo sertanejo é muito carinhoso, receptivo e amoroso. Temos experimentado a graça e o amor de Deus de uma maneira muito palpável. Tem sido muito especial receber esse carinho e engajamento”, completa.

 

Conheça a AMES!

Você sabia que pode nos ajudar a continuar levando a palavra de Deus para o Sertão? Clique aqui e saiba como ajudar! Conheça também as histórias de outros missionários que atuam no Sertão: Bernardino Firmino, Lucas Bispo, Pastor Carmelino, Filipe Chagas, Manoel Brás e Ediran Medeiros!

2

Como ir ao Sertão?

Já pensou em experimentar como é o dia a dia de um missionário no Sertão brasileiro? Quem aceita esse desafio tem a oportunidade de conhecer de perto as carências espirituais do povo sertanejo: são várias comunidades rurais que não possuem presença evangélica. Para mudar essa realidade, milhares de pessoas participam de Caravanas Missionárias, que levam a Palavra de Deus ao Sertão. Quer saber como participar? Continue lendo!

Caravana Missionária: entenda como funciona

As Caravanas Missionárias têm como objetivo de levar o amor e a Palavra de Cristo para o povo sertanejo. Estima-se que exista em torno de 6 mil comunidades rurais sem igrejas evangélicas, tornando o Sertão um dos locais menos evangelizados do Brasil.

Além de espalhar a Palavra de Deus pelo Sertão e despertar a missão evangelizadora no coração de mais pessoas, as Caravanas Missionárias levam ações sociais para o povo sertanejo, como atividades com as crianças e jovens e doação de cestas básicas, material de higiene pessoal, kit escolar, brinquedos, fraldas geriátricas e roupas e sapatos infantis e adultos.

Como faço para participar e ir ao Sertão?

A AMES não promove as Caravanas Missionárias, mas dá todo o suporte necessário para que as Igrejas de todo o país promovam caravanas ao Sertão. Se você se interessou por este lindo projeto e quer fazer a diferença no Sertão, peça para que a sua liderança pastoral entre em contato conosco!

Separamos algumas imagens das nossos últimas Caravanas Missionárias. Confira:

Conheça a AMES!

A AMES conta com missionários em três estados brasileiros: Bahia, Pernambuco e Piauí. Nosso objetivo é fazer a diferença no Brasil, impactando, transformando e participando do avivamento que o Evangelho anuncia. Conheça mais sobre os nossos projetos e saiba como ajudar!

2

Sertão: mais de 6 mil comunidades sem presença evangélica

Levar a Palavra de Deus às comunidades do Sertão envolve muitos desafios: além das dificuldades geográficas, os missionários encontram diversas comunidades que não têm presença evangélica. São cerca de 6 mil localidades no Sertão que ainda não possuem igrejas evangélicas, tornando o Sertão um dos locais menos evangelizados do Brasil. A AMES trabalha para mudar essa realidade. Entenda!

Dificuldades no Sertão

Mesmo com o trabalho de evangelização em várias localidades do Sertão, há muitos pontos que ainda não contam com presença evangélica, como explica o pastor Levi Custódio Liberato. Ele coordena, ao lado de sua esposa Suely Regina Frata Liberato, o campo da região Sertão-Bahia, que abrange uma equipe de 28 pastores e 96 missionários que atuam em 17 municípios.

“A dificuldade de acesso às localidades é muito grande. As estradas são ruins, principalmente das comunidades que ficam mais longe dos centros das cidades. Para chegar até a comunidade de Curralinho, em Rio do Pires, por exemplo, temos que sair às 6 horas e só chegamos lá às 13 horas. São apenas 55 quilômetros, mas a estrada é drástica”, explica Levi.

Entre os desafios ainda estão a distância entre as comunidades, que chega a 70 quilômetros de uma para a outra, e o anafalbetismo funcional. “Poucos sertanejos têm leitura e escrita, então usamos uma linguagem muito simples e específica, para que eles entendam e aprendam sobre a Palavra de Deus da melhor forma”, completa.

Trabalho missionário no Sertão

A abordagem nas comunidades é simples: os missionários realizam visitas de casa em casa. “É o método mais eficaz, pois o povo sertanejo é relacional, gosta de receber. Cada visita demora cerca de 2 horas, o que demonstra o interesse deles em ouvir quem vêm de fora. São pessoas simples, mas muito receptivas e generosas”, conta o pastor.

Construção de Igrejas

Além das evangelizações missionárias, a AMES conta com um projeto de Construção de Igrejas. A construção dos templos ocorre quando a comunidade rural ultrapassa 40 crentes, e cada igreja comporta em torno de 120 a 150 pessoas.

Os locais são agradáveis para cultuar a Deus e onde os sertanejos podem se reunir nas datas especiais, como casamentos e comemorações diversas. Ao todo, quase 30 igrejas já foram construídas no semiárido nordestino.

 

Conheça mais nossos projetos sociais e saiba como ajudar a AMES a transformar o Sertão por meio da Palavra de Deus!