AMES participa de treinamento DNA Central. Conheça! - AMES

2

Você sabe como funciona uma igreja em células? São pequenos grupos que se reúnem para realizar atividades como o estudo da Bíblia, cânticos e oração. Esse formato é inspirado em relatos bíblicos que mostram que os cristãos se reuniam em casas e também nos templos para orações regulares.

Em abril deste ano, pastores e missionários da AMES participaram do DNA Central, um programa que tem como objetivo capacitar líderes de igrejas que estejam interessadas em trabalhar com o modelo celular. Continue lendo e saiba como foi!

O que é o DNA Central?

Com objetivo de capacitar pastores e passar a visão de uma Igreja em Células, o DNA Central é um programa criado pela Igreja Batista Central de Belo Horizonte. Um dos pastores responsáveis, Inar Brandão conta que a capacitação oferece seminários, treinamentos, retiros e mantém uma rede de apoio às igrejas.

“Trabalhamos com esse modelo há 19 anos. Nesse tempo, conseguimos fazer a transição de uma igreja tradicional para uma igreja em células e isso nos fez ter um crescimento qualitativo. Decidimos compartilhar isso com outras igrejas do Brasil, de forma totalmente gratuita. Mais de 250 mil células foram já geradas por meio do programa, envolvendo cerca de 2 milhões de vidas para Cristo”, explica Inar Brandão.

O treinamento é dividido em três módulos, que se adaptam de acordo com as características de cada igreja. “Não é um modelo fechado. A ideia é que cada igreja adapte e aplique esses valores de acordo com seu estilo e princípios. Já atingimos cerca de 40 mil igrejas de todo do país, de diversas denominações”, completa o pastor.

AMES e DNA Central: veja como foi!

Durante o mês de abril, o DNA Central foi realizado em duas cidades do Sertão: Petrolina, em Pernambuco, e Cafarnaum, na Bahia. O pastor e responsável pela coordenação das bases e cuidado integral dos missionários, Marcelo Fregnani, participou do treinamento nas duas cidades.

“Foi muito bom, muito positivo. Apesar de ser apenas um dia de treinamento, muitos fundamentos bíblicos foram passados. A Igreja Batista Central de Belo Horizonte, que é responsável pelo projeto, possui muita experiência em igrejas em células. Cerca de 250 pessoas participaram nas duas cidades. Foi muito edificante”, relatou Marcelo Fregnani.

Em Petrolina (PE), também participaram missionários e colaboradores das bases de Afrânio e Oricuri, em Pernambuco; Carnaiba do Sertão, Marruá, Juazeiro, Lagoa do Boi e Casa Nova, na Bahia; e Acauã e Marcolândia, no Piauí. Já a cidade de Cafarnaum (BA) recebeu participantes das bases de Miguel Calmon, Mirangaba, Ourolândia, Umburana, Irecê, Lapão, América Dourada e Brotas de Macaúbas, todas na Bahia.